Precisa de ajuda para escolher o seu
treinamento ou tem alguma dúvida?

[aviso] PO que trabalha com MVP fica bom de métrica

Um dos grandes desafios para POs (Product Owners) é decidir a evolução do produto baseando-se nas métricas de uso do mesmo.

Analisando as métricas podemos verificar se a evolução do produto está realmente alcançando o resultado esperado. Entretanto, muitas vezes, é difícil relacionar as mudanças do produto com o resultado obtido,  demonstrando tal correlação através de métricas.

Por exemplo, considere um produto desenvolvido de forma tradicional que estará recebendo cinco alterações significativas. Para tal, será necessário seis meses de trabalho até que o produto seja disponibilizado aos seus usuários.

Agora considere uma outra forma de trabalhar, liberando versões mínimas e viáveis assim que possível; os MVPs.  Por se tratar de uma versão mínima do produto, realizamos entregas menores e mais rápidas. E, quanto menor a quantidade de funcionalidades do MVP, mais fácil para o PO analisar as métricas do mesmo.

Com essa pequena mudança, qual foi o resultado obtido?

Seguindo o exemplo das cinco alterações no produto em seis meses. Uma equipe usando o conceito de MVP iria buscar uma forma de ter um mínimo viável dessas alterações antes de seis meses. Isso talvez seja uma das cinco alterações. Ou talvez algumas parcelas das alterações. Ou ainda uma combinação de ambos. Logo, algo menor que todas as cinco funcionalidades completas. Desta forma o MVP possui menos funcionalidades, gerando menos dados e métricas para o PO analisar.

Esse é o ponto! É difícil correlacionar métricas ao produto incipiente, principalmente se forem muitas alterações adicionadas ao mesmo tempo. Trabalhar com MVP ajuda com isso. Ao contrário de grandes alterações, um MVP contém menos alterações, logo menos dados e métricas correlacionados.

sou um expert em métricas

sou um expert em métricas

É assim que o PO se sente num cenário com muitas variáveis (foto acima). Ele tem de ser um expert e fazer sentido de várias métricas, pegar o microfone e dizer aos seus passageiros: “confie em mim, eu sei operar isso e sei para onde estamos indo”.

C172_heading_indicator

vamos olhar essa métrica mais simples

Ou, quando trabalhando de outra forma (foto acima), ele relaxa, não se diz expert, nem tão pouco toma todas decisões sozinho. Ele somente diz: “De acordo com essa métrica simples aqui, entendemos isso como resultado. Vamos prosseguir mais um pouco e analisar novamente.”

[content_block id=3005 slug=inception-mvp-e-diretoaoponto]

Paulo Caroli

Paulo Caroli é um consultor, autor e palestrante altamente respeitado, conhecido por criar a metodologia Lean Inception. Como autor de cinco livros influentes sobre agilidade nos negócios, incluindo o best-seller Lean Inception, ele traz uma vasta experiência prática para seu papel como Inception & OKR advisor na Thoughtworks - Expert in Product and Project Inception, Advisor on Team OKR. Paulo está profundamente envolvido em workshops estratégicos, desenvolvimento de produtos digitais e na orientação de equipes sobre agilidade nos negócios e estratégia de produto.
Gestão Ágil de Projetos

Gestão Ágil de Projetos

Neste artigo, a autora Annelise Gripp aborda o tema da Gestão Ágil de Projetos e destaca, entre outras coisas, como esse modelo de gestão flexível, simples e fácil de aplicar pode auxiliar você e sua organização.

ler mais

Pin It on Pinterest