🥳  No mês de Aniversário da Caroli.org, você estuda com 30% off usando o cupom: 7ANOSCAROLI. Escolha o seu treinamento!

Precisa de ajuda para escolher o seu
treinamento ou tem alguma dúvida?

Tabela de Priorização Relativa WSJF + RICE: Aperfeiçoando Suas Escolhas Estratégicas

No cenário desafiador das decisões estratégicas, saber priorizar iniciativas é essencial para o sucesso. É nesse contexto que a Tabela de Pontuação Relativa WSJF + RICE se destaca como uma ferramenta valiosa. Ao combinar os princípios do WSJF e do RICE, essa abordagem oferece uma maneira intuitiva e eficaz de avaliar e comparar iniciativas. Neste artigo, vamos explorar como essa tabela funciona, como ela pode melhorar suas decisões estratégicas e como aplicá-la para alcançar resultados impactantes. Prepare-se para descobrir uma nova dimensão na arte da priorização.

A tabela de priorização relativa é uma ferramenta simples usada para classificar iniciativas com base em critérios relativos. Os participantes atribuem pontuações de valor para o negócio (N), valor para o usuário (U) e esforço relativo (E) a cada iniciativa. Em seguida, o grupo calcula a pontuação de cada iniciativa usando a fórmula N + U / E.

Comparação Relativa vs. Absoluta

Essa tabela visa à comparação relativa. Por exemplo, ao comparar a iniciativa A com a B, qual delas demanda mais esforço? Poderíamos dizer que a A é um 1 e a B é um 3?

Porém, essa pergunta é muito diferente de: qual é o esforço necessário para a iniciativa A?

Cada cálculo na tabela de priorização – valor para o negócio, valor para o usuário e esforço – deve ser relativo. Ou seja, as pontuações são números que comparam iniciativas entre si.

Por exemplo, se a iniciativa C tem um fator de redução de risco de 2, a iniciativa D tem um fator de redução de risco de 5. Essas pontuações não têm relação com valores absolutos, mas sim entre elas.

Embora seja possível falar em valores absolutos, não utilize nenhum valor absoluto ao preencher as pontuações nessa tabela. Essa tabela se trata de comparação relativa, com escalas de um a cinco.

 

Pontuação de Valor para o Negócio

A pontuação de valor para o negócio é calculada a partir do trabalho de Don Reinerson sobre Custo do Atraso – também base para a priorização WSJF, usada no framework SAFe.

Essa pontuação é um número de 0 a 5, resultante da fórmula:

Pontuação de valor para o negócio = Valor para o negócio + Criticidade Temporal + Redução de Risco / 3

  • Valor para o negócio: Qual o potencial valor ou impacto negativo para nosso negócio? (valor de 0 a 5)
  • Criticidade Temporal: Como o valor comercial diminui ao longo do tempo? Os usuários esperarão por nós ou buscarão outra solução? (valor de 0 a 5)
  • Redução de Risco: Qual o risco de adiar essa iniciativa para nosso negócio? Essa iniciativa abrirá/facilitará novas oportunidades comerciais? (valor de 0 a 5)

 

Pontuação de Valor para o Usuário

A pontuação de valor para o usuário é baseada na priorização RICE (Reach, Impact, Confidence, Effort em inglês), desenvolvida por Sean.

Essa pontuação é um número de 0 a 5, calculado pela fórmula: pontuação de valor para o usuário = Alcance + Impacto + Confiança / 3

  • Alcance: Quantas pessoas serão impactadas por essa iniciativa? (Considerar para o mesmo período) (valor de 0 a 5)
  • Impacto: Quanto essa iniciativa afetará cada uma dessas pessoas? (valor de 0 a 5)
  • Confiança: Quão confiante você está nesses números? (valor de 0 a 5)

 

Pontuação de Esforço Relativo

A Pontuação de Esforço Relativo é uma comparação relativa baseada no esforço necessário para cada iniciativa. A iniciativa com menos esforço é classificada como 1. Todas as outras são comparadas ao esforço canônico – 1. Se uma iniciativa exigir mais que um esforço 10, divida-a em partes menores para se enquadrar entre 1 e 10.

  • Esforço: Como essa iniciativa se compara às outras? (valor de 1 a 10)

 

Orientações para o Facilitador

Já conduzi várias sessões para preencher a tabela de priorização relativa. Aqui, está um guia passo a passo:

  1. Liste e discuta cada iniciativa sem revelar os critérios.
  2. Explique os sete critérios usados para calcular as pontuações (imprima-os em uma folha A4 e distribua uma para cada participante).
  3. Discuta cada critério e atribua pontuações às iniciativas.
  4. Calcule a pontuação de cada iniciativa.

 

Imprima os critérios

Aqui estão os sete critérios (para serem impressos em uma folha A4 e distribuídos aos participantes):

  1. Valor para o negócio: Qual o potencial valor ou impacto negativo para nosso negócio? (valor de 0 a 5)
  2. Criticidade Temporal: Como o valor comercial diminui ao longo do tempo? Os usuários esperarão por nós ou buscarão outra solução? (valor de 0 a 5)
  3. Redução de Risco: Qual o risco de adiar essa iniciativa para nosso negócio? Essa iniciativa abrirá/facilitará novas oportunidades comerciais? (valor de 0 a 5)
  4. Alcance: Quantas pessoas serão impactadas por essa iniciativa? (Considerar para o mesmo período) (valor de 0 a 5)
  5. Impacto: Quanto essa iniciativa afetará cada uma dessas pessoas? (valor de 0 a 5)
  6. Confiança: Quão confiante você está nesses números? (valor de 0 a 5)
  7. Esforço: Como essa iniciativa se compara às outras (valor de 1 a 10)

 

Conclusão: Refinando Suas Decisões Estratégicas

A tabela de priorização relativa, ao combinar aspectos do WSJF e RICE, proporciona uma abordagem eficaz para avaliar e comparar iniciativas. Ao adotar uma perspectiva relativa, evita-se as armadilhas dos valores absolutos e enfatiza as relações entre as iniciativas. Isso possibilita uma tomada de decisão mais informada e alinhada às metas estratégicas. Utilizando os critérios de valor para o negócio, valor para o usuário e esforço relativo, os líderes podem alocar recursos de forma inteligente, impulsionando o crescimento organizacional.

 

Mais informações

Este post faz parte de uma série de posts sobre atividades relacionadas à atividades de inception e workshops similares.

Este post compartilha uma das atividades usadas no Treinamento Liderança de Produto e Alinhamento Estratégico.

Paulo Caroli

Paulo Caroli é um consultor, autor e palestrante altamente respeitado, conhecido por criar a metodologia Lean Inception. Como autor de cinco livros influentes sobre agilidade nos negócios, incluindo o best-seller Lean Inception, ele traz uma vasta experiência prática para seu papel como Inception & OKR advisor na Thoughtworks - Expert in Product and Project Inception, Advisor on Team OKR. Paulo está profundamente envolvido em workshops estratégicos, desenvolvimento de produtos digitais e na orientação de equipes sobre agilidade nos negócios e estratégia de produto.
Gestão Ágil de Projetos

Gestão Ágil de Projetos

Neste artigo, a autora Annelise Gripp aborda o tema da Gestão Ágil de Projetos e destaca, entre outras coisas, como esse modelo de gestão flexível, simples e fácil de aplicar pode auxiliar você e sua organização.

ler mais

Pin It on Pinterest