Quando podemos usar Lean Inception com Lean Portfolio Management (LPM) do SAFe®?

23 nov 2022 | Cultura Ágil

Por Edson Lima*

A Lean Inception, criada pelo Paulo Caroli e mantida pela Caroli.org é, segundo o autor, um workshop colaborativo que ajuda a alinhar um grupo de pessoas sobre a proposta de solução a ser construída, através de uma sequência de atividades, que utilizam técnicas de Design Thinking e Lean StartUp e com o objetivo de definir o Produto Mínimo Viável (MVP).

Já o Lean Portfolio Management (LPM), proposto e mantido pela © Scaled Agile, Inc é uma competência do SAFe® que alinha estratégia e execução de iniciativas se utilizando de Lean e de pensamento sistêmico para suas três dimensões: estratégia e financiamento de investimentos, operações de portfólio Agile e governança.

O LPM descreve um portfólio como um ou mais fluxos de valor para um domínio de negócio em uma organização. Cada fluxo de valor oferece uma ou mais soluções que ajudam a organização a cumprir sua estratégia de negócio, através do desenvolvimento de produtos ou serviços.

O LPM utiliza várias ferramentas e métodos, com destaque para o Portfolio Kanban para visualizar e gerenciar o fluxo de iniciativas (épicos de portfólio), desde a idealização até a análise, implementação e finalização.

Assim como outros sistemas Kanban, este ajuda a adequar a demanda à capacidade com base no limite do trabalho em andamento (WIP), ajuda a identificar oportunidades de melhoria, visualização dos gargalos e facilita o fluxo com políticas para a entrada e saída de itens no fluxo.

Além disso, o portfolio Kanban é importante porque ajuda a alinhar a estratégia e a execução nos níveis táticos e operacionais.

Na etapa de FUNIL, as ideias entram no sistema Kanban e podem ter diversas origens, como do planejamento estratégico, times, parceiros, clientes etc.

Na etapa de REVISÃO, o responsável pelo épico prepara a declaração de hipótese e uma priorização inicial.

Em seguida, o épico passa para EM ANÁLISE. Os que chegam nesta etapa passam por uma análise mais rigorosa de investimento, com envolvimento de todas as partes interessadas.

São identificadas alternativas de solução, Criação de Business Case Lean, Validação de Hipóteses, estimativa de custo, refinamento da priorização considerado o custo de atraso e o esforço, análise de viabilidade técnica e comercial e, o mais importante para este artigo, definição do Produto Mínimo Viável (MVP).

Desta forma, o melhor momento para usarmos a Lean Inception é na etapa de EM ANÁLISE do Portfolio Kanban. Teremos o MVP definido e o Canvas MVP, que acrescenta insumos fundamentais para estimativa, priorização e hipótese, assim como clareza nos objetivos e resultados esperados. Com isso, as partes interessadas podem seguir para a decisão de seguir / Não seguir com a iniciativa (GO / NO GO), descartando ou seguindo para o PORTFÓLIO BACKLOG e, posteriormente, para IMPLEMENTAÇÃO.

Na etapa de IMPLEMENTAÇÃO, ocorre o ciclo de Lean Startup e, quando o épico não precisa mais ser acompanhado no portfólio, segue para PRONTO.

* Agile Lead na Raia Drogasil, conhecida como RD. Também me considero um Lean Agile Coach. Eu também sou facilitador e trainer de Lean Inception da Caroli.org, Management 3.0, Instrutor SAFe, também, agilidade em geral.


Gostou deste conteúdo?

Caroli.org

A Caroli.org, com um excelente time e a integração de pessoas autoras, treinadoras, parceiras e demais colaboradoras, tem como missão principal compartilhar conhecimento e, dessa forma, contribuir para a transformação de um mundo melhor. Veja mais detalhes sobre nossos Treinamentos autorais e exclusivos, nossos Livros e muitos outros conteúdos em nosso Blog.
UX inclusivo: um debate necessário na construção de experiências

UX inclusivo: um debate necessário na construção de experiências

Desenvolvedores de experiências são desafiados a projetar soluções que atendam às necessidades de diferentes usuários. Mas, essa tarefa se torna ainda mais desafiadora quando não existem possibilidades de se explorar o contexto dessas necessidades, de maneira que resultem experiências acessíveis, sobretudo, as das Pessoas com Deficiência (PCDs). Esse é o tema trazido neste artigo da autora Liliane Claudia.

ler mais
O que é RH Ágil?

O que é RH Ágil?

Os profissionais da área de Recursos Humanos têm sido cada vez mais desafiados a se transformar e entregar mais valor aos colaboradores e ao negócio. Do mesmo modo, as organizações que desejam prosperar em meio ao avanço digital precisam direcionar o seu olhar para um novo RH.

ler mais

Pin It on Pinterest

X
X
X